hipertensão arterial

Como identificar hipertensão arterial?

A hipertensão arterial, comumente conhecida como pressão alta, é caracterizada como o aumento da pressão sanguínea nas artérias. Ou seja, quando a diferença entre a pressão sistólica e diastólica atinge valores superiores a 14 por 9.

Quando esses números são ultrapassados, ocorre sobrecarga de trabalho do coração, na distribuição do sangue para todo o corpo. Segundo o Ministério da Saúde, 90% dos casos estão associados a caracteres hereditários. Ainda de acordo com esse órgão, entre os anos de 2006 e 2016 cerca de 5.000 pessoas morreram em decorrência desse problema. 

Para saber mais sobre essa doença, a seguir o texto aborda como ela acontece e como evitar a situação. 

Quais são as causas da hipertensão arterial?

Apesar de ser uma doença séria, existem tratamentos que ajudam a melhorar a qualidade de vida. Contudo, se o portador não se trata, aumenta as chances de desencadear os principais fatores de risco de acidente vascular cerebral, infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca. 

Essa condição pode ser herdada dos pais em 90% dos casos, entretanto hábitos de vida pouco saudáveis podem ser também importantes causadores, entre eles: 

  • fumo;
  • consumo de bebidas alcoólicas;
  • obesidade;
  • estresse;
  • elevado consumo de sal;
  • níveis altos de colesterol;
  • falta de atividade física.

Quais os sintomas? 

Grande parte das pessoas que sofrem hipertensão não apresenta sintomas muito visíveis, exceto nos casos em que a pressão atinge valores muito elevados. Os sintomas apresentados em situações mais severas podem ser:,estresse;

  • dor no peito;
  • dor de cabeça;
  • tontura;
  • zumbido no ouvido;
  • fraqueza;
  • visão embaçada;
  • sangramento nasal.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da hipertensão deve ser feito por um médico ou profissional especializado, por meio da medição da pressão com o aparelho específico (esfigmomanômetro ou semelhante).

Em alguns casos também pode ser importante realizar outros testes, como  MAPA (monitorização ambulatorial de pressão arterial) e MRPA (monitorização residencial de pressão arterial). Eles permitem monitoramento mais preciso e, consequentemente, um diagnóstico exato.

Qual o tratamento? 

A hipertensão não tem cura, entretanto tem tratamento e pode ser controlada. Em casos mais brandos, trata-se com reeducação dos hábitos de vida, como:

  • manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares;
  • não abusar do sal, usando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos;
  • praticar atividade física regularmente;
  • aproveitar momentos de lazer;
  • abandonar o fumo; 
  • moderar o consumo de álcool;
  • evitar alimentos gordurosos;
  • controlar o diabetes.

O fumo, o sedentarismo e os maus hábitos alimentares são os principais causadores de complicações em indivíduos hipertensos. 

Em situações graves, é necessária a introdução de tratamentos medicamentosos. A avaliação e prescrição devem ser feitas por um cardiologista de confiança.

Os tratamentos devem ser seguidos à risca para que alcancem a eficiência desejada. É  importante que, em caso de dúvidas com os medicamentos, o médico seja consultado. 

Mudanças de hábitos e visitas rotineiras ao médico evitam o sofrimento com as complicações que a hipertensão arterial pode causar, uma vez que se demonstra silenciosa.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista em Niterói

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe