colesterol

Qual a diferença entre o colesterol HDL e o LDL?

O corpo humano é formado por estruturas e substâncias diversas, cada uma com seu papel no funcionamento do organismo. Entre elas, está o colesterol. Embora muita gente associe esse nome a algo negativo para a saúde, existem de vários tipos dessa gordura circulando pelo corpo, e eles são fundamentais, por exemplo, para a produção de hormônios.

No entanto, quando há um desequilíbrio nos níveis dessa substância no sangue, podem ocorrer problemas graves de saúde, especialmente doenças cardiovasculares. Por isso, é comum que os médicos peçam esse dado nos exames de sangue de rotina.

Neste artigo, você vai saber mais sobre os tipos de colesterol e do seu impacto no organismo. Não deixe de ler!

Colesterol “bom” e “ruim”

Como citamos anteriormente, existem formas diferentes de colesterol: o HDL e o LDL são os mais conhecidos pelos pacientes e costumam ser chamados de “bom” e “ruim”, respectivamente. Mas você entende as razões dessa nomenclatura?

HDL: o bom colesterol

O HDL funciona como um detergente no sangue. Ele impede a formação de placas de gordura na parede das artérias, evitando, assim, seu entupimento. Dessa forma, é essencial que seus índices estejam dentro do que é indicado pelos médicos para que as artérias estejam protegidas. Ele pode ser encontrado em alimentos ricos em ômega 3, como peixes de água fria (atum, sardinha, salmão etc.), oleaginosas (amêndoas, castanhas ou avelãs, por exemplo), azeite, entre outros.

LDL: o mau colesterol

Já o LDL opera exatamente de forma oposta e causa placas que “colam” em veias e artérias, dificultando a circulação sanguínea, podendo acarretar consequências sérias para o paciente. O indivíduo que está com o índice desse colesterol elevado deve evitar o consumo de itens como carnes gordas, frituras, embutidos e gorduras saturadas. Já laticínios desnatados, fibras e carnes magras são aliados interessantes que auxiliam a reverter essa situação.

Como manter os níveis ideais?

É importante ressaltar que os níveis considerados aceitáveis de cada substância variam de acordo com sexo, idade e histórico de saúde de cada pessoa. Em caso de pacientes que já possuem outros fatores de risco — como Diabetes, Hipertensão e Tabagismo — o controle poderá ser mais rigoroso do que para o restante da população.

O colesterol, por si só, não é um “vilão” do corpo humano. Assim como outros nutrientes, ele possui seu papel no equilíbrio e no bem-estar. Para assegurar que seus índices estejam saudáveis, a melhor dica é apostar em um estilo de vida saudável. Uma dieta equilibrada, rica em frutas, verduras e legumes, além da prática de exercícios físicos regulares ajudam a diminuir o risco de doenças sérias, que afetam o coração. E lembre-se de realizar exames periódicos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista em Niterói!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe