Avaliação pré-operatória

Avaliação pré-operatória: a importância do risco cirúrgico

A avaliação pré-operatória é fundamental quando alguém vai se submeter a uma cirurgia. Ela permite avaliar se há ou não risco de uma pessoa apresentar complicações antes, durante e depois do procedimento cirúrgico.

Essa avaliação das condições de saúde do indivíduo é feita a partir de um exame clínico e de exames específicos. Em geral, é orientada pelo clínico geral, cardiologista ou anestesista.

A partir do que é verificado na análise pré-operatória, o médico responsável pelo procedimento pode tomar alguns cuidados, de acordo com cada caso. A partir da observação do grau de risco, podem ser solicitados exames mais apropriados, tratamentos prévios ou até mesmo um tipo diferente de técnica cirúrgica.

Como é a avaliação pré-operatória?

Quando um indivíduo tem a confirmação de que precisa se submeter a uma operação, ele recebe do médico uma lista de exames a serem realizados antes do procedimento.

A avaliação médica desses exames vai definir o melhor tipo de cirurgia pela qual cada pessoa pode passar. Quanto mais demorada e complexa a intervenção, maiores os riscos. Assim, a análise deve ser cuidadosa e minuciosa. Principalmente quando se tratar de uma pessoa idosa e com problemas cardíacos.

Por isso, as cirurgias são classificadas de acordo com o risco de complicações cardíacas. Entre as de baixo risco estão as superficiais, como as de pele, mama e olhos. Aquelas com risco intermediário são realizadas no tórax, abdome, pescoço, braços e pernas. As cirurgias grandes de emergência e as realizadas em grandes vasos sanguíneos, como a aorta, são consideradas de risco alto.

Que exames precisam ser realizados?

Os exames pré-operatórios são realizados com o intuito de descobrir algum fator clínico que possibilite complicação cirúrgica. Cada um deles é pedido de acordo com uma anamnese realizada com o indivíduo. Os tipos podem variar de pessoa para pessoa.

Sendo assim, uma pessoa que vai se submeter a uma cirurgia de baixo risco e está com a saúde em ótimo estado não precisa realizar todos os procedimentos de análise.

A seguir, conheça os exames frequentemente pedidos para uma avaliação pré-operatória.

  • Hemograma completo – em cirurgias de risco intermediário ou alto é preciso ficar atento a problemas que provoquem alterações nas células sanguíneas.
  • Creatina – principalmente em indivíduos com doenças renais, diabetes e doenças do fígado e coração.
  • Teste de coagulação – em cirurgias de risco intermediário e alto é importante estar atento aos indivíduos com problema de coagulação sanguínea e insuficiência hepática.
  • Eletrocardiograma – para diabéticos e pessoas com problemas cardíacos.
  • Radiografia do tórax – para cirurgia no tórax ou abdome, é essencial. Também indicada para quem tem mais de 60 anos ou é portador doença do coração.

A partir do resultado desses exames, pode haver a necessidade de fazer outros mais específicos. Eles também poderão orientar em relação à técnica cirúrgica empregada. Além disso, podem mostrar necessidade de prescrever algum tratamento prévio ou medidas como prática de atividades físicas, perda de peso ou parar de fumar.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista em Niterói!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe